drarosyane.clinicaoncologica@gmail.com    |   

A importância da mamografia no diagnóstico precoce do câncer de mama

A importância da mamografia no diagnóstico precoce do câncer de mama

Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), o câncer de mama é o segundo mais recorrente e a maior causa de mortalidade entre mulheres no país. Mas, quando descoberto no início, o câncer de mama tem 95% de chance de cura e o exame de mamografia tem um papel fundamental nesse contexto. Esse tipo de tumor pode ser hereditário ou ocasional e isso significa que, tanto mulheres com histórico familiar quanto aquelas que não o possuem, podem desenvolver a doença. 

Dito isto, mulheres assintomáticas só devem se submeter ao rastreamento mamográfico depois dos 40 anos de idade. Já mulheres com predisposição genética precisam passar pelo exame anualmente, a partir dos 35 anos. Essas medidas podem revelar um diagnóstico precoce da patologia e evitar cirurgias desnecessárias, conservando a mama intacta. 

A mamografia é um tipo específico de radiografia das mamas, portanto, ainda é o melhor exame de rastreamento para o câncer que ataca os seios – antes mesmo que as lesões sejam palpáveis. O autoexame é importante, mas não é suficiente porque quando o tumor é palpável, já passou do estágio inicial. Mas, caso encontre alguma anormalidade nos seios, a paciente deve consultar o médico o mais rápido possível e realizar a mamografia.

Como é feito?

O exame de mamografia é realizado com um mamógrafo (aparelho de raio-X) que comprime a mama para oferecer imagens de alta qualidade. A compressão de fato é desconfortável, mas infelizmente necessária para a eficácia dos resultados.

Radiação

Existe uma preocupação, no momento da mamografia, sobre a exposição à radiação. Mas, em pequenas doses, essa exposição não faz mal ao organismo. O corpo humano tem tempo e capacidade para substituir eventuais células que possam ter sido destruídas ou danificadas no processo. 

Ultrassonografia x mamografia

A diferença entre os exames é a seguinte: a ultrassonografia utiliza o som e os ecos para produzir as imagens, tem alta precisão e baixa sensibilidade. Já a mamografia utiliza a radiação X para produzir imagens, tem menos precisão e mais sensibilidade. Normalmente, para um diagnóstico completo, é recomendado que a mulher se submeta primeiro à ultrassonografia de mama e só então à mamografia. 

Fonte:Medical Site

13 de Junho de 2019