drarosyane.clinicaoncologica@gmail.com    |   

A prevenção do câncer de pele pode estar nas bactérias

A prevenção do câncer de pele pode estar nas bactérias

Sempre que se ouve falar em bactérias, é normal associá-las a doenças e outras complicações que podem prejudicar o organismo humano. Mas imagine uma linhagem específica que vive em nossa pele e produz uma substância capaz de diminuir as chances de desenvolver câncer - a Staphylococcus epidermidis é uma delas. 

Os cientistas afirmam que a presença dessa espécie pode promover uma proteção natural ou funcionar como terapia para inibir o crescimento de vários tipos de tumor. É curioso, mas algumas comunidades de micróbios que vivem em nosso corpo realmente podem ajudar a protegê-lo. Mas embora a Staphylococcus epidermidis seja uma bactéria gram-positiva e presente naturalmente na pele sem causar prejuízos, é um microrganismo considerado oportunista, pois provoca doenças quando o sistema imunológico está fraco.

No entanto, os especialistas acreditam que apenas 20% da população saudável carrega a linhagem da Staphylococcus epidermidis que produz essa poderosa substância, a 6-N-hydroxyaminopurine (6-HAP).

A 6-HAP age prevenindo o crescimento e a multiplicação de uma série de tipos de tumores, que podem ficar até 60% menores. Essa ação também vale para tumores de pele pré-malignos, induzidos por raios UV e o mais importante: sem prejudicar outros organismos do corpo, ou seja, sem efeitos colaterais.

A notícia é boa, no entanto, os estudos precisam ser aprofundados: os estudiosos devem entender como a 6-HAP é produzida para determinar se a substância influencia no risco de desenvolver câncer ou se seu efeito é apenas preventivo.

O câncer de pele

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, cerca de 9% da nossa população é acometida por algum tipo de pré-câncer ou câncer de pele, sendo que o Instituto Nacional do Câncer (INCA) registra, a cada ano, cerca de 180 mil novos casos. A principal causa para o desenvolvimento da doença é a exposição excessiva aos raios solares ultravioletas.

A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Os tipos mais comuns são os carcinomas basocelulares e os espinocelulares. O tipo mais raro, porém, mais agressivo e letal, é o melanoma.

O câncer da pele pode se assemelhar a pintas, eczemas ou outras lesões benignas. Assim, conhecer bem sua pele e saber em quais regiões existem pintas, faz toda a diferença na hora de flagrar qualquer irregularidade. Esteja atento!

Fonte: Medical Site

11 de Julho de 2019