drarosyane.clinicaoncologica@gmail.com    |   

Pacientes oncológicos devem dobrar a atenção para o coronavírus

Em tempos de epidemia, há cuidados e orientações especiais para as pessoas em geral, mas quem está nos grupos de risco deve redobrar a atenção. É o caso do paciente oncológico, cuja taxa de mortalidade para o coronavírus é de 5,6% contra 2,3% da mortalidade geral. Pessoas em tratamento de quimioterapia, radioterapia, corticoterapia (corticoides), imunossupressores, pacientes hematológicos ou aqueles que foram submetidos a transplante de medula óssea podem contrair e desenvolver o coronavírus Covid-19 com mais facilidade. Mas por que isso acontece?

Tanto os tratamentos oncológicos quanto o próprio câncer comprometem as células de defesa. Numa situação normal, elas atuariam como uma parede protetora que impede o vírus de entrar no organismo - e mesmo que entrasse, seria atacado antes que a infecção se instalasse. Porém, as drogas usadas durante a terapia bloqueiam essa função natural das células imunológicas e o próprio tumor também pode alterar ou reduzir a quantidade e a função das células de defesa. 

Mesmo assim, é uma unanimidade entre os oncologistas: o paciente não deve interromper o tratamento, apenas redobrar a prevenção. Ou seja, investir em isolamento social, higienização rigorosa pessoal e dos ambientes, etiqueta respiratória (usar lenço descartável ou o antebraço em vez das mãos quando tossir ou espirrar), alimentação saudável, equipamentos de segurança, banhos de sol diários, lugares abertos e ventilados etc. Vale para cuidadores, familiares e para quem tem câncer de muito tempo já controlado.

Também é fundamental manter um diálogo aberto com o médico de confiança, sem omitir informações e tirando todas as dúvidas, mesmo as mais óbvias. Neste momento a fonte mais confiável é o médico e não os grupos de Facebook e Whatsapp. Como o Covid-19 ainda está em fase de estudos, é importante que nossas fontes de informação sejam confiáveis e oficiais, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), os órgãos de saúde, as associações médicas, etc.

Fonte: Medical Site 

02 de Abril de 2020