(12) 3951-7037 | (12) 99797-1779

drarosyane.clinicaoncologica@gmail.com

Blog

Câncer de Pele Melanoma

Avalie este item
(1 Voto)

O melanoma pode começar como uma espécie de pinta ou mancha sobre a pele (um pequeno tumor cutâneo pigmentado ou colorido), mais frequente nas partes do corpo que ficam expostas ao sol. Geralmente os tumores são de cor marrom ou preta, mas alguns melanomas não são pigmentados e essa “pinta” pode aparecer nas cores rosa, bege ou branca.

A pele de qualquer parte do corpo pode apresentar o desenvolvimento do melanoma, como palmas das mãos, unhas e sola dos pés. Entretanto, o melanoma é mais comum no tronco (especialmente nos homens), nas pernas (especialmente nas mulheres), no pescoço e no rosto. Melanomas também podem se formar em outras partes do corpo, como olhos, boca, órgãos genitais e região anal; mas estes são muito menos frequentes do que os melanomas de pele.

Nos últimos 40 anos, tem aumentado o número de casos de melanoma. A doença é mais frequente em pessoas de pele clara, mas afrodescendentes não estão livres da doença. O melanoma também é mais comum em adultos, embora às vezes seja encontrado em crianças e adolescentes.

Apesar de representar apenas 4% dos casos de câncer de pele, o melanoma é responsável por cerca de 90% das mortes relacionadas ao câncer de pele. Isso porque o melanoma é um câncer agressivo que tende a se espalhar rapidamente para outras partes do corpo em um processo chamado metástase. No entanto, se descoberto em estágios iniciais, o melanoma é quase sempre curável.

Tradicionalmente, um melanoma cutâneo inicial não provoca sintomas. No geral, ele é uma “pinta” ou mancha na pele que se diferencia das demais por ter uma série de características que podem estar relacionadas à presença de células malignas. Essas alterações são resumidas na sequência mnemônica do ABCDE e serão descritas a seguir:

  1. Assimetria: a maioria das manchas benignas é simétrica e tem formas arredondadas, ou ovaladas. Contrariamente, melanomas tendem a ser lesões assimétricas e sem uma forma geométrica predefinida.
  2. Bordas: lesões benignas têm, normalmente, bordas regulares e bem formadas. Já nos melanomas as bordas podem assumir características mais irregulares, espiculadas, com variações de espessura e regiões que se iniciam e terminam abruptamente.
  3. Cor: geralmente os nevos, pintas benignas, são monocromáticos, em tons de marrom. Melanomas, por sua vez, podem ser lesões com mais de uma cor, que variam de regiões apigmentares, podendo passar por diversas nuances de marrom, atingindo até o azulado, ou preto.
  4. Diâmetro: “pintas” comuns são lesões pequenas, com medidas inferiores a 0,5 cm. Melanomas tendem a crescer mais e frequentemente ultrapassam esse diâmetro.
  5. Evolução: nevos benignos, normalmente, não alteram sua conformação durante a vida. Do contrário, se alguma lesão de repente começar a crescer, mudar de cor, ulcerar, sangrar, coçar ou aparentemente se multiplicar pelas redondezas, é urgente que seja analisada por um dermatologista, pois pode ser um melanoma.

É importante ressaltar que basta que um desses atributos esteja presente em alguma lesão cutânea para que ela mereça ser avaliada por um especialista.